Biblioteca de Alexandria - da Construção a Destruição

A ESCOLHA DE ALEXANDRIA PARA CONSTRUÇÃO DA BIBLIOTECA

Hoje Alexandria demonstra poucos traços de sua antiga glória, dos dias que Eratóstenes andava por suas largas avenidas, através dos séculos ondas de conquistadores converteram seus palácios, templos, castelos e igrejas, e depois em minaretes e mesquitas, a cidade fora escolhida para ser a capital de seu império por Alexandre o Grande em uma tarde de inverno em 331 A.c, um século depois ela se tornou a maior cidade do mundo, cada civilização sucessiva deixou sua marca.

Mas o que resta agora da cidade de mármore do sonho de Alexandre ?
Alexandria ainda é um mercado vicejante, ainda uma encruzilhada para os povos do oriente próximo, mas outrora era radiante de auto confiança, certa de seu poder, como se pode recuperar uma época desaparecida através de algumas estátuas quebradas e restos de antigos manuscritos ?


A BIBLIOTECA

Em Alexandria havia uma biblioteca imensa e um instituto de pesquisa associado, e neles, trabalhavam as melhores mentes do mundo antigo, dessa lendária biblioteca só resta um porão úmido e esquecido, ele fica anexo da biblioteca, o Serapion que era um templo, mas depois foi reconsagrado para o conhecimento, há poucas prateleiras mofadas que provavelmente ficavam no deposito no porão são seus únicos restos físicos. Mas a biblioteca de Alexandria foi outrora o cérebro e a glória da maior cidade do planeta terra, se eu pudesse viajar de volta no tempo, este seria o lugar que eu visitaria, a biblioteca de Alexandria no seu auge 2 mil anos, aqui em um sentido importante, começou a aventura intelectual que nos levou ao espaço, todo o conhecimento do mundo antigo já esteve abrigado por estas paredes de mármore, na grande parede pode ter havido um mural de Alexandre com cajado, mangual e a touca cerimonial dos faraós do Egito antigo, a biblioteca era uma citadela da consciência humana, um farol na nossa jornada para as estrelas.






OS GÊNIOS QUE HABITAVAM A BIBLIOTECA

Foi o primeiro instituto de pesquisa verdadeiro na história do mundo, e o que eles estudavam ? eles estudavam tudo ! estudavam todo o cosmo, cosmo é uma palavra grega que quer dizer ordem do universo, de certo modo é o oposto de caos, ela implica uma profunda interconectividade de todas as coisas, o modo intrincado e sutil como o universo é reunido, o gênio florescia ali, além de Eratóstenes que calculou precisamente o tamanho da terra, havia o astrônomo Hiparco que mapeou as constelações e estabeleceu o brilho das estrelas, e havia Euclides que sistematizou brilhantemente a geometria, havia Dionísio da trácia, o homem que definiu as partes do discurso, substantivos, verbos etc... que fez pela linguagem de certo modo o que Euclides fez pela geometria, Galeno escreveu trabalhos básicos sobre cura e anatomia que dominaram a medicina até o renascimento,  Hierófilo um fisiologista que identificou o cérebro e não o coração como o centro da inteligência,  havia Arquimedes o maior gênio mecânico até a época de Leonardo da vinte, e havia o astrônomo Pitolomeu, que compilou muito do que hoje é a pseudociência da astrologia, seu universo centrado na terra dominou por 1500 anos, mostrando que o brilhantismo intelectual não é garantia contra estar errado, e entre estes grandes homens também havia uma grande mulher, o nome dela era Hipácia, ela era matemática e astrônoma, a ultima luz da biblioteca cujo o martírio está ligado a destruição deste lugar sete séculos depois dele ter sido fundado, havia dúzias de mentes brilhantes e centenas de descobertas fundamentais.  


O QUE HAVIA DE ESPECIAL NA BIBLIOTECA

Os reis gregos do Egito que sucederam Alexandre colocaram os avanços na ciência, na literatura e na medicina nos tesouros do império, durante séculos eles apoiaram generosamente a pesquisa e a erudição, um esclarecimento dividido por poucos chefes de estado na época, nesta biblioteca havia dez grandes laboratórios de pesquisa, havia fontes colunatas, jardins botânicos e até um zoológico com animais da Índia e da África subsariana, havia salas de dissecações e um observatório astronômico. 

Mas o tesouro da biblioteca consagrada ao Deus Serapis construída na cidade de Alexandre, era sua coleção de livros, os organizadores da biblioteca varriam todas as cultura e línguas do mundo atrás de livros, eles mandaram agentes ao exterior para comprar bibliotecas, os navios comerciais que atracavam no porto de Alexandria eram vasculhados pela policia, não para encontrar contrabando, mas livros, eles pegavam emprestados os pergaminhos, os copiavam e devolviam aos donos, até serem estudados esses pergaminhos eram guardados em grandes pilhas chamadas de livros dos navios.


Idéias populares sobre a natureza do cosmo eram desafiadas e algumas delas, descartadas, novas idéias eram propostas e descobria-se que estavam mais de acordo com os fatos, havia propostas imaginativas, debates rigorosos, sínteses brilhantes, e o tesouro resultante do conhecimento humano, era registrado era preservado por séculos nestas prateleiras. A ciência atingiu a maioridade nesta biblioteca.

É difícil saber os números exatos mas parece que a biblioteca continha em seu apogeu, quase 1 milhão de pergaminhos, a cana do papiro cresce no Egito, ele é a origem da nossa palavra ´´papel´´, e cada um dos volumes daquele milhão que existia na biblioteca foi escrito a mão em pergaminhos de papiro, o que houve com aqueles livros todos ? 





A DESTRUIÇÃO POR CAUSA DO FANATISMO RELIGIOSO

Bom a civilização clássica que os criou desintegrou-se e a própria biblioteca foi destruída, apenas uma pequena fração dos trabalhos sobreviveu, e do resto sobraram apenas fragmentos espalhados de dar dó, mas porquê estes pedaços remanescentes são de atormentar tanto ? por exemplo, sabemos que existia lá um livro do astrônomo Aristarco de samos, que parece ter afirmado que a terra era um dos planetas que como os outros planetas orbitam o sol e que as estrelas estão enormemente distantes, tudo absolutamente correto, mas nos tivemos que esperar quase dois mil anos para que estes fatos fossem re-descobertos.

Como seria interessante saber como eles descobriram tais coisas sem aparatos tecnológicos, mas infelizmente tudo sumiu totalmente e para sempre, se multiplicarmos nosso sentido de perda por uma obra por digamos cem mil, iriamos a apreciar a grandeza de sua civilização clássica e a tragédia de sua destruição.

Nós ultrapassamos de longe a ciência do mundo antigo, mas há brechas irreparáveis em nosso conhecimento histórico, imaginem que mistérios do passado poderiam ser resolvidos, com um cartão de usuário desta biblioteca, por exemplo conhecemos A história do mundo em Três volumes escrita por um babilônio chamado Berosso, agora perdida, o volume um lidava com o intervalo com a criação do mundo até a grande inundação, um período que ele dizia ter 432 mil anos, ou cerca de cem vezes mais longo do que a cronologia do antigo testamento, que maravilhas havia nos livros de Berosso.

Na época de Alexandria foi quando pela primeira vez unimos séria e sistematicamente o conhecimento do mundo, estávamos há muito tempo pela primeira vez descobrindo nossa situação no cosmo, os cientistas da antiguidade deram os primeiros passos nessa direção antes que sua civilização desmoronasse, mas depois da idade das trevas foi de longe a descoberta que esses trabalhos destes estudiosos fizeram que tornou possível o renascimento, portanto influenciou enormemente a nossa cultura, quando no século 15 a Europa estava finalmente pronta para acordar de seu longo sono, ela pegou algumas das ferramentas, livros e conceitos que estavam na biblioteca guardados a mais de mil anos.

É como se toda uma civilização tivesse passado por uma lavagem cerebral radical auto infligida, para que a maioria de suas memórias descobertas, idéias e paixões fosse irrevogavelmente eliminada, a perda foi incalculável, em alguns casos sabemos apenas os títulos sedutores de livros que foram destruídos, na maior parte dos casos não sabemos nem os títulos e nem os autores.

Por Carl Sagan.




2 comentários:

  1. Caro Marco,
    obrigado pelo post. Leitura muito interessante e enriquecedora.
    Eu gostaria de lhe pedir um favor. Você conhece a fonte (livro ou entrevista de Sagan)deste texto?
    Abraço e obrigado novamente.
    Diógenes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola amigo, a fonte é um documentário chamado Cosmos, especificamente o primeiro episodio, abraço.

      Excluir

--------->>> REGRAS <<<--------------

- Este blog não fecha parcerias com outros blogs e nem com empresas
- Comentários ofensivos NÃO SERÃO LIDOS E SIM ´´EXCLUÍDOS´´
- Reporte erros e falhas do blog como links quebrados, videos fora do ar ou equívocos, agradeço.
- Não coloque links dentro do comentário, coloque em ´´comentar como nome/url´´
- Você tem alguma dica, indicação, sugestão que complementa o post ? comenta ai que eu avalio e adiciono ao post !
- Se desejar que eu responda, cite meu nome ou faça uma pergunta e responderei assim que possível
- Seja educado
Obrigado pela visita